o olhar despedaçado, segundo dia

hoje eu desejei deitar no chão, junto à poeira dos dias, parar de comer e beber até que a vida desistisse do meu corpo. a cidade teimava em fugir debaixo dos meus olhos. o café me empurrou calor no peito. o poente me deu horizonte.

amanhã, tudo outra vez.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s